Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Refletindo Sobre o dilema da Asafe no salmo73 e o meu dilema atual. Parte III.


Salmos 73-2. Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos.
No primeiro verso Asafe, discorreu sobre a bondade de Deus em ralação aos seus eleitos e faz uma afirmativo categórica, Deus e bom para com Israel,à predestinação de salvos e perdidos e aqui afirmada sem nem um medo ou receio,do que possa pensar a Criatura finita.

Neste verso o salmista, começa a demonstração de seus conflitos interiores em relação à prosperidade e longevidade, dos ímpios,
Mas trata-se de uma questão de fórum o intimo teve uma experiência mística negativa qual o cristão que diante de injustiças e maldades não se sente no dever de se auto questionar?
Deus nos deu a livre agência exatamente para isto. 
Deus não se magoa ou se irrita quando questionado sobre certas coisas que nos afligem alguns profetas questionaram seus momentos Jeremias, Isaias Abaiuque e outros perguntaram,
 Reclamaram como fez Ezequiel em cap. 4-14 Então me disse: Ah! Senhor DEUS! Eis que a minha alma não foi contaminada, pois desde a minha mocidade até agora, nunca comi daquilo que morrer de si mesmo, ou que é despedaçado por feras; nem carne abominável entrou na minha boca.

Vamos agora fazer uma análise do versículo dois que está em apreço aqui três coisas se destacam vejamos um. Até onde um crente pode cair?
2. Até onde ele não cairá. 3. Quais temores são e quais não são permissíveis? Na verdade o verso. 2. E um retrospecto de nossas escorregadelas; prospectos de perigo futuro; preparação no presente para isso.

Se prestarmos bastante atenção o salmista declara sua quase queda de 2-14 é este verso dois compara uma vida de obediência com o ato de andar numa vereda o caminho apertado (PV 1-9). Aqui Asafe descreve a Sua dúvida e sua Incredulidade como ato de escorregar de uma vereda, Aqui vemos que a vida dos santos é mais do está fundamentada em coisas materiais o Cristão deve está firmado em Cristo como seu Bem absoluto.

Estamos sempre à beira de escorregar em situações, problemas dificuldades lutas é tribulações estamos enfrentando tempos difíceis onde o mundo nos rodeia com ódio por nosso senhor e por nos o evangélico- fobia e uma realidade que muitos teimam em não querer ver, contudo seguido a idéia de um suposto crescimento dos evangélicos no Brasil os lideres evangélicos tem negligenciado o cuidado das ovelhas de Deus.

Para divertir os bodes do diabo muito bons e oportunos a serie de ultimato sobre orgulho é culpa estamos sentido orgulho de nossa culpa pela não evangelização eficaz do mundo por conta de nossos pecados, Ultimato traduz o que muitos de nos estamos sentindo, que DEUS tenha piedade de nos e nos ajude a voltar para o caminho.

 O salmista diz que seus pés quase resvalaram que ele quase caiu, mas este verso e uma reflexão que vai até o verso 14 onde ele conclui seu pensamento, mas analisaremos as partes depois e preciso que saibamos que Deus não falha deixar um justo cair por causa da prosperidade do ímpio seria uma falha.

Devemos entender que se trata de uma reflexão pessoal do salmista é que não implica em uma doutrina de que se nos observamos às coisas e situações a nossa volta então há uma possibilidade de queda, mas se estivermos formados em Cristo nada e nem ninguém nos derrubará.

Soli Deo Gloria. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.