Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 21 de abril de 2013

O diabo está irado. Marca da Besta - Parte II



A Fé Bahá'í
A Fé Bahá'í é a mais jovem das religiõs mundiais independentes. O seu fundador, Bahá'u'lláh (1817-1892), é considerado pelos bahá'ís como o mais recente na linha dos Mensageiros de Deus, que remonta aos primórdios da história e da qual fazem parte Abraão, Moisés, Buda, Zoroastro, Cristo e Maomé.

O tema central da mensagem de Bahá'u'lláh é o conceito de que a humanidade representa uma única raça e que é chegado o dia de sua unificação em uma única sociedade global. Deus, declarou Bahá'u'lláh, pôs em marcha forças históricas que estão rompendo as barreiras tradicionais de raça, classe, credo e nação e que irão, no devido tempo, dar à luz uma civilazação universal. O principal desafio que se coloca aos povos do mundo é aceitar a realidade da unidade do gênero humano e auxiliar os processos de sua unificação.
Os Bahá'ís e as Nações Unidas
A Fé Bahá'í ensina que a verdadeira religião promove a unidade e que essa unidade é o pré-requisito fundamental à conquista da paz global. "O bem-estar da humanidade", declarou Bahá'u'lláh , "sua paz e segurança são inalcançáveis, a não ser que, primeiro, se estabeleça firmemente a sua unidade."

Entre as medidas que a comunidade bahá'í advoga como contribuições à unidade mundial destacam-se: uma federação de nações, uma língua auxiliar internacional, a coordenação da economia mundial, um sistema universal de educação, um código de direitos humanos para todos os povos, um mecanismo integrado para a comunicação global e um sistema universal de moeda, pesos e medidas.

Acreditando que as Nações Unidas representam o maior esforço no processo de unificação do planeta, os bahá´ís têm apoiado os trabalhos desta organização de todas as formas possíveis. A Comunidade Internacional Bahá'í atua em caráter consultivo junto ao Conselho Econômico e Social (ECOSOC) e junto ao Fundo de Assistência à Infância das Nações Unidas (UNICEF). Os escritórios da Comunidade, em Nova York e Genebra, e bahá'ís de numerosos lugares participam regularmente de conferências, congressos e seminários relacionados à vida sócio-econômica de nosso planeta.

Os sofrimentos que os seus próprios companheiros de crença experimentaram como vítimas de perseguição religiosa têm, particularmente, sensibilizado os bahá'ís com relação aos ensinamentos de Bahá'u'lláh que tratam dos direitos humanos. A Comunidade Internacional Bahá'í participa ativamente das consultas das Nações Unidas que tratam dos direitos das minorias, da condição da mulher, da prevenção do crime, do controle de drogas narcóticas, do bem-estar das crianças e da família e do movimento em favor do desarmamento.
Desenvolvimento Econômico e Social
Do ponto de vista do desenvolvimento econômico e social, a característica mais interessante da vida comunitária bahá'í é o seu singular sistema de consulta. Bahá'u'lláh ensinou um padrão de tomada de decisão em grupo baseado na busca pelo consenso. Seria correto dizer que, em sua maioria, os membros da Fé Bahá'í são, em um grau maior ou menor, estudantes do processo consultivo

O Diabo tem pressa, a marca da Besta - Parte I


A marca da Besta - Parte 1

A ONU (Organizações das Nações Unidas) implantou os ensinamentos do profeta Baha´’u’lláh para serem aplicados em escala mundial e isso desde a sua criação. Baha’u’lláh criou princípios unificadores nas áreas sociais, políticas, econômicas, na educação, e estratégias para que seja criado um exército mundial. Além disso, ele criou princípios que são praticados por todas as religiões (inclusive evangélicos e católicos).
Compete a ONU, através das mais diversas estratégias tanto espirituais como materiais, criar a unidade da humanidade. E quando essa unidade estiver criada é chegada a hora de acordar o profeta Bahá’u’lláh para que ele reine sobre a terra nas regiões celestiais. Os principais pontos do seu governo são:

Um executivo mundial e seus 9 auxiliares, Uma identificação planetária como prova de lealdade ao seu governo, uma moeda única controlada através de pulsos eletrônicos, uma instituição formada pelo poder executivo e legislativo a qual o executivo mundial está submisso e um parlamento mundial das religiões que será controlado pelo Papa.

Conheça um pouco mais sobre a vida desse homem abaixo:
A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. (Apocalipse 17 : 8)
Nascido em 1817, Bahá'u'lláh era membro de uma das destacadas famílias nobres da Pérsia-- uma família que podia traçar sua linhagem até as dinastias reinantes do passado imperial da Pérsia, sendo dotada de riqueza e vastas possessões. Pondo de lado a Sua posição na corte e as vantagens que esta Lhe oferecia, Bahá'u'lláh, se tornou conhecido por Sua generosidade e bondade, as quais O tornaram profundamente amado por Seus concidadãos.

Esta posição privilegiada, contudo, não se manteve por muito tempo após Bahá'u'lláh anunciar Seu apoio à mensagem do [1] Báb. Arrastado pelas ondas de violência desencadeadas sobre os babis apósa execução do Báb, Bahá'u'lláh sofreu não somente a perda de todos os Seus bens terrenos, como foi também sujeitado ao cativeiro, à tortura e a uma série de exílios. O primeiro deles foi para Bagdá, onde, em 1863, anunciou ser Ele próprio Aquele prometido pelo Báb. De Bagdá, Bahá'u'lláh foi desterrado para Constantinopla, Adrianópolis e, finalmente, para `Akká, na Terra Santa, onde desembarcou como prisioneiro em 1868.

De Adrianópolis e, mais tarde, de `Akká, Bahá'u'lláh enviou uma série de cartas aos governantes do Seu tempo, as quais se encontram entre os documentos mais notáveis da história religiosa. Elas proclamavam a iminente unificação da humanidade e o surgimento de uma civilização mundial.

Os reis, imperadores e presidentes do século XIX foram convocados a reconciliar as suas divergências, reduzir os seus arsenais e a devotar as suas energias ao estabelecimento da paz universal.

Assim passou Bahá’u’lláh simples e serenamente o outono da Sua vida na Terra, até que, após um ataque de febre, expirou, em 29 de maio de 1892, com a idade de setenta e cinco anos. Entre as últimas Epístolas por Ele reveladas, figura Seu Testamento, escrito do próprio punho e devidamente assinado e lacrado.


[1] – O Báb: No dia 23 de maio de 1844, em Shiráz, na Pérsia, um jovem conhecido como o Báb anunciou o iminente aparecimento do Mensageiro de Deus aguardado por todos os povos do mundo. O título Báb significa "a Porta". Embora Ele próprio fosse o portador de uma revelação independente, procedente de Deus, o Báb declarou que a Sua missão era preparar a humanidade para este advento. Uma imediata e selvagem perseguição se seguiu a este anúncio, instigada pelo influente clero muçulmano. O Báb foi preso, espancado, encarcerado e finalmente executado em praça pública na cidade de Tabriz, em 9 de julho de 1850.
Fonte APC Total Blog.