Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Refletindo sobre o dilema de Asafe no Salmo 73. E o meu dilema pessoal- parte II.


  Salmos 73 -1 VERDADEIRAMENTE bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração.Muitas têm sido as discutições sobre a autoria de Asafe, foi realmente o autor dos salmos que levam seu nome?, alguns até afirma que David escreveu e Asafe cantou, não acredito, porque  2 Crônicas 29-30 não nos permite uma posição diferente e isto é consubstanciado em Ne 12.46, não sei deva dizer que curiosamente, ou providencialmente este salmo é idêntico ao salmo 73 no que concerne ao tema.


O tema destes dois salmos e a prosperidade dos ímpios e o sofrimento dos justos, este salmo é o primeiro do terceiro livro na divisão dos Judeus, no versículo primeiro há dois pontos importantes a serem destacados, o primeiro é a bondade de Deus, o segundo é que esta bondade está  ligada diretamente a Israel,a igreja da primeira aliança.
A bondade de Deus não é uma ação, ato ou atitude distinto do ser de Deus e suas perfeições, Deus é bom porque a bondade  Dele é Ele mesmo em Si, a bondade é um de Seus atributos comunicáveis, mas devemos entender,que  em Deus a bondade é isenta de quaisquer limitações ou circunstâncias insufladoras.

No caso das criaturas morais, anjos e homens a bondade é limitada, a vontade de Deus que a derivou e as limitações de tempo, espaço e circunstâncias, mas na essência o único ser realmente  Bom no  universo infinofinto é o próprio Deus,  pensemos da seguinte forma, Deus é bom, os homens  tem atitudes boas e fazem boas obras,  porque no estado de pecado as nossas justiças são como trapo de imundice, logo não se pode confiar, que o homem seja bom, pois não há um justo se quer todos pecaram e destituídos estão da gloria de Deus.

A cruz foi um ato supremo da bondade de Deus, que como diz São Paulo em II Coríntios 5:19 Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação. Isto é bondade levada a extremo, Deus é bom isto é algo que a mente finita não pode conter, porque se Deus é bom, então como explicar o mal?Como entendermos o sofrimento dos justos? Estas questões tem intrigado filósofos e pensadores de todos os tempos e épocas.

O que é o mal frente à bondade de Deus? na minha perspectiva teológica o mal e só outra versão da bondade do supremamente Deus, mas isto é uma questão de minha teologia sistemática e que não vou discutir aqui, então pensemos em dois fatores justo combinados, primeiro, Deus é bom e o mal faz parte do seu projeto de governo universal.

Agora, vamos pensar na bondade de Deus em relação direta com Seu povo, no verso, o salmista diz:” com efeito bom é Deus para com Israel”, ele não diz que Deus é bom para o mundo ou para todas as nações e aqui vamos entender o porquê de certas questões relativas ao mal serem tão difíceis de compreender, mas Deus é Bom ao extremo para com seu povo e não com todos os seres do universo.    
                 

Toda a forma de bondade de Deus experimentada no mundo e em conseqüência da bondade do Senhor; para com sua igreja o mundo vislumbra atos de bondade,quando o sol nasce quando chove, em tudo o que é descrito como na maioria dos salmos.
Israel foi o povo escolhido por Deus em Abraão, a escolha de Deus de forma sistemática para formar a nação, que foi a Igreja em seu primeiro estágio, nunca houve um tempo em que a Igreja de Deus não estivesse sobre a terra, ela e o culminar da bondade de Deus na transformação de seres humanos pecadores, em filhos queridos.
Deus é bom para com a Sua Igreja e dentro dela os eleitos limpos de coração aqui, tem haver com a eleição e o fato de Jesus ter satisfeito a justiça de Deus na cruz e limpado os corações de Seu povo, como bem diz o texto de Mateus: salvou o seu povo dos pecados deles, se usarmos Efésios 1- 4: Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor.

Soli Deo Gloria.       

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Refletindo sobre o dilema de Asafe no Salmo 73. E o meu dilema pessoal parte I.


Normalmente eu começaria com um versículo, mas como se trata de uma reflexão sobre o dilema do autor do salmo então vai colocar o salmo em destaque e ai nos refletirá sobre cada texto dos Salmos 73 -1-28. neste primeiro momento queiro apenas que vocês leiam e meditem neste salmo,depois de ler e meditar anotem tudo o que acharem  importante, feito isto nos vamos refletir no verso primeiro.

 VERDADEIRAMENTE bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração.  Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios. Porque não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força. Não se acham em trabalhos como outros homens, nem são afligidos como outros homens. Por isso a soberba os cerca como um colar; vestem-se de violência como de adorno.  Os olhos deles estão inchados de gordura; eles têm mais do que o coração podia desejar.

São corrompidos e tratam maliciosamente de opressão; falam arrogantemente.
 Põem as suas bocas contra os céus, e as suas línguas andam pela terra.
 Por isso o povo dele volta aqui, e águas de copo cheio se lhes espremem.
 E eles dizem: Como o sabe Deus? Há conhecimento no Altíssimo?
 Eis que estes são ímpios, e prosperam no mundo; aumentam em riquezas.
 Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração; e lavei as minhas mãos na inocência.

 Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã.
Se eu dissesse: Falarei assim; eis que ofenderia a geração de teus filhos.
 Quando pensava em entender isto, foi para mim muito doloroso;
Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles.
 Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição. Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores.

 Como um sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás a aparência deles. Assim o meu coração se azedou, e sinto picadas nos meus rins. Assim me embruteci, e nada sabia; fiquei como um animal perante ti. Todavia estou de contínuo contigo; tu me sustentaste pela minha mão direita.  Guiar-me-ás com o teu conselho, e depois me receberás na glória. Quem tem eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti.


A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre. Pois eis que os que se alongam de ti, perecerão; tu tens destruído todos aqueles que se desviam de ti.  Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor DEUS, para anunciar todas as tuas obras.

Soli Deo Gloria. 

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Refletindo sobre o uso da coisa pública e o bem do cidadão comum.


Isaías 10:11 Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que prescrevem opressão.
Moro em Araripina-PE a pouco menos de um ano, neste tempo já precisei do Hospital  Público por  duas vezes,devo dizer que em ambas  fui  bem tratado e atendido com o respeito que todo cidadão trabalhador merece,não a choque  tenha haver com o fato de trabalhar  em uma empresa de comunicação, porque vi outras pessoas sendo bem tratadas, atendidas com respeito e rapidez. 

Nesta véspera da Primeira Marcha de Araripina contra as drogas,provida pelo Sistema Grande Serra de Comunicação, órgão onde trabalho;e final da ocupação da Rocinha e Alemão-RJ  por forças do poder  público instituído pelo voto  do povo, eu venho refletir sobre o uso da coisa pública e o bem do cidadão comum.

Uma definição particular  de coisa pública seria mais ou menos assim:  coisa pública é tudo aquilo que pertence ao povo de uma nação soberana e democrática de ato e direito, sendo gerida pelos poderes representativos do povo ,” Todo o poder emana do povo e para o povo”  mas gosto da definição dada por :    http://quiosque.aeiou.pt/gen.pl?mode=thread&fokey=ae.stories/4791&va=5456&p=stories&op=view
O Cidadão comum entendido como aquele que não tem meios, recursos ou instrumentos para se fazer ouvir ou reivindicar seus direitos,que carece do bom desempenho de órgãos como Procon,OAB, Imprensa etc. Este cidadão está cada vez mais exigente e consciente de seu poder de botar e tirar políticos no poder.

Não se pede que ninguém seja santo e faça milagres, o que se quer de políticos eleitos para cumprirem seus mandatos é que a coisa do povo seja administrada e não roubada,desviada,surrupiada, etc; mas voltando a marcha contra as drogas,que gestor público não ficaria feliz em ter uma  iniciativa destas em sua cidade ? Aqueles que direta ou indiretamente tem envolvimento com o tráfico e os traficantes que ajudam a manter seu governo.

Um líder que rejeita cuidar da saúde de seus jovens e adolescentes não devia está no poder ,mas os psicopatas tem grande capacidade de enganar e manipular a opinião pública, com isto acabam se apoderando do que não lhes pertence e para manter  isto, se preciso, matam e ameaçam seus desafetos.
O  bem  estar do cidadão e da sociedade é o direito de todos e um dever do estado, as invasões bem sucedidas da rosinha e do Vidigal mostram que quando se quer fazer as coisas funcionarem direito neste pais, se consegue mesmo,espero que o MEC queira realmente concertar o falido e fracassado Enem.
Adicionar legenda

No mais, vamos a luta, ano que vem eles nos buscarão, olhemos seus resultados, seu desempenho e o mais importante, ficha limpa neles.
Soli Deo Gloria.     
          

domingo, 6 de novembro de 2011

Refletindo sobre: MEC pai ou mãe do Enem, uma Instituição fracassada e imoral para Educação Brasileira!


Jeremias 32:33- E viraram-me as costas, e não o rosto; ainda que eu os ensinava, madrugando e ensinando-os, contudo eles não deram ouvidos, para receberem o ensino.

A minha vida toda estudei sempre em escolas públicas,  nunca tive os privilégios de estudar nas boas escolas particulares de minha cidade, mas isto nunca me impediu de lutar pelos meus objetivos, fiz três vestibulares, o primeiro foi em uma Universidade privada, cismei que queria ser administrador de empresas; o segundo foi na Univasf, o terceiro na Ufrpe, passei no primeiro, mas não tinha dinheiro para pagar as caras mensalidades do curso aí nunca pisei lá.


No segundo fiz uma péssima prova, por vários motivos, era ano eleitoral eu estava envolvido na coordenação de campanha de meu vereador; no terceiro passei, estou cursando até hoje, o curso que escolhi,foi algo da providencia Divina, eu nunca pensei em fazer uma licenciatura em computação, nem na modalidade (ead), que diga-se de passagem não fica devendo nada a nenhuma outra modalidade, mas o curso dos meus objetivos além de meu Bacharelado em teologia, ainda não está ao meu alcance.


Quando o Enem surgiu, pensei que agora estaria mais próximo de realizar meu objetivo, mas nas duas vezes que fiz a prova do Enem fiquei intrigado com algumas coisas, mas não são delas que quero falar e sim sobre a falência do Enem, digo que o Enem pelos escândalos que já são muitos, não é uma instituição confiável.
Esta última edição que participei e paras minhas condições e idade foi muito bem, é uma demonstração do fracasso do MEC em solucionar problemas, não é possível para qualquer pessoa racional achar que se a prova vazou no Ceará, não tenha vazado no resto do Brasil.
Para o Ministério da Educação, anular a prova no Brasil todo é impossível, mas se isto não for feito, como poderemos algum dia na vida confiar que qualquer prova do MEC seja séria, honesta e de resultados indiscutíveis? .

Como bem diz a Professora Eva Oliveira, Diretora da WEJ consultoria: “A nós cabe fazer nossa parte como educador e educando” os vestibulares da WEJ que ocorrerão no próximo dia 27 de novembro para cursos como Serviço Social, Administração, Teologia, Gestão Hospitalar e Educação física, são hoje mais confiáveis do que Mec.
Faço pedagogia na WEJ e digo vale apena investir em algo confiável e de credibilidade, coisas que o Enem está, ou melhor, deixou de ter, há algum tempo, caso queira saber mais sobre a wej vá ao site: http://www.wejconsultoria.com.br e confira o que dissemos.
A educação Brasileira como já disse vem colhendo fracasso após fracasso em seus índices, também com uma previsão de 7 a 10 do PIB, como esperar resultados melhores? Bem, acho que o Enem é uma instituição falida, o melhor é voltar a fazer seu próprio vestibular, ou adotarmos o sistema de notas para que o aluno saia do ensino Médio, vá direto para a Universidade, basta somar suas medias desde a pré- escola até seu último ano do Ensino Médio, soma, dar uma média geral que deve ser no mínimo sete, no contrario estuda mais um ano.


Bem, temos de pensar soluções como disse em minha redação do Enem: a vida em rede, ainda é a vida em sociedade e todos tem direitos, deveres e responsabilidades, uma de nossas responsabilidades é pensar alternativas para problemas que nos afetam, como a todos os Brasileiros e os fracassos do MEC, realmente tem sido um desastre para o Brasil e os Brasileiros.                         
 Soli Deo Gloria.