Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

A Neo-pós-modernidade “O desejo de levar o crime a sério”!!!

No dia doze do mês em curso eu estava na sala da minha casa no sofá com minha esposa Cibelly e meu filho Yohannes assistindo o telejornal, que chamo,( entre novelas), na Rede Globo Brasil TV.Leia mais sobre isto . www.joseanoleao.blogspot.com e www.twitter.com/JlJoseanoQuando fomos surpreendidos, por uma reportagem que seria cômica se não fosse trágica, um bandido estava na cadeia, e com seu celular dá instruções e broncas na senhora sua mãe pois, segundo ele, podia contar com os de fora e não podia contar com a própria família, mas o pior não foi isto é que chamando um seu” sobrinho” ele dá broncas no rapaz e diz a seguinte frase: “Leve o Crime a Serio” , aparentemente uma frase como outra qualquer, mas o fato é que esta simples frase demonstra como a impunidade gera nos criminosos a certeza de que o crime é sim uma indústria lucrativa e que a sociedade não tem o direito moral de pedir justiça ou qualquer coisa parecida. Porque deixamos que mensaleiros e mensalonistas riam de nossa cara, muitos serão lamentavelmente reeleitos para mais quatro anos de roubalheiras e nós ficaremos, comemorando a prisão falciforme do governador de Brasília que nada mais é do que um bode expiatório, para desviar a nossa atenção de tantas outras roubalheiras e corrupções.www.joseanolaurentino.blogspot.com


Sim, parece mesmo que levar o Crime à serio como estava pedindo o tio bandido para o sobrinho criminoso é mesmo uma opção viável e importante. Nisto me lembrei de um fato na Bíblia no livro do profeta Oséias, quando Deus diz que tem uma Contenda com os habitantes da terra vamos ler “ Oséias 4:1 OUVI a palavra do SENHOR, vós filhos de Israel, porque o SENHOR tem uma contenda com os habitantes da terra; porque na terra não há verdade, nem benignidade, nem conhecimento de Deus. 2 Só permanecem o perjurar, o mentir, o matar, o furtar e o adulterar; fazem violência, um ato sanguinário segue imediatamente a outro.- 6 O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.”

Este texto mostra uma inequívoca verdade, Deus não está inerte ele está vendo e ouvindo tudo, mas tem coisas que são de nossa responsabilidade, como seres dotados de dupla cidadania não podemos pensar só em nosso lar celeste e deixar que o nosso lar terrestre seja carcomido pelo mal representado por homens corruptos que como ratazanas esfaimadas. Comem o erário público, nas festas da carne e nas orgias santanaricaninas de louvor a lúcifer.

Enquanto uma pobre mão catadeira de lixo pedia dinheiro aos outros, para seu filho não ir para a escola com fome, que festejou sua aprovação em primeiro lugar na universidade Federal de Pernambuco, agora tem de chorar amargamente a dor, causada mais uma vez pela impunidade, e os descumprimentos da lei de execuções penais do defasado código penal Brasileiro. A estúpida morte do meu colega, estudante universitário Alcides, por um criminoso que estava em liberdade condicional e que fugiu depois daquele tal indulto de natal, me faz manter firme a minha convicção de que precisamos da pena de morte qualitativa. Se a tivéssemos talvez ao invés de darmos aposentadorias a juízes e coronéis estupradores nós os estivéssimos proibindo-os de uma vez por todas de abusar sexualmente de nossas filhas e filhos.

Mas enquanto os criminosos querem levar o “Crime a serio” poucos são os Cristãos neste período neo-pós-moderno que estão levando o Cristianismo a serio. Aí nos perguntamos o que Deus está pensando?, sabemos a resposta, está na Bíblia. Quanto a nos, devemos dar glórias a Deus em todo o tempo, o tempo todo pois, isto e o dever de todo homem que seja salvo que seja perdido e é isto o que Ele pede de nos.
Salomão, como o rei de Israel, estava familiarizado com o uso estratégico de presentes. A palavra hebraica traduzida como “presente” – mattawn – aparece três vezes em Provérbios. O contexto de Provérbios 21:14 não é claramente aquele do governo civil. Em Provérbios 19:6 sim: “Muitos se  deixam acomodar pelos favores do príncipe, e cada um é amigo daquele que dá presentes”. Provérbios 18:16 pode se referir a governantes civis: “Com  presentes o homem alarga o seu caminho e o eleva diante dos grandes”. Grandes pode se referir a governantes civis. Se não, então esses homens têm acesso aos governantes civis. O princípio geral governando esses provérbios é encontrado em Provérbios 17:8: “O presente é, aos olhos dos que o recebem, como pedra preciosa; para onde quer que se volte servirá de proveito”.
 
 Nesse provérbio, a palavra hebraica é diferente: sachad. Ela é usada repetidamente para descrever suborno. Na maioria, os textos são hostis. Eles são governados por essa pressuposição: “Pois o SENHOR vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas” (Dt. 10:17). O que se aplica a Deus deve se aplicar também àqueles que agem como juízes em Seu nome. Também suborno não tomarás; porque o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos. (Ex. 23:8) Não torcerás o juízo, não farás acepção de pessoas, nem receberás peitas; porquanto a peita cega os olhos dos sábios, e perverte as palavras dos justos. (Dt. 16:19) Maldito aquele que aceitar suborno para ferir uma pessoa inocente. E todo o povo dirá: Amém. (Dt. 27:25)

Pense nisto.
Sola Dio Glórias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.